Como uma bomba, dívida de mais de 02 milhões de reais das administrações anteriores explodem no governo bolinha

Um oposicionista bem conhecido e conhecedor da administração pública municipal já haviam vaticinado aos quatro cantos da cidade. “Bolinha ganhou a eleição, mas não sabe as bombas de efeito retardado que irá cair em seu colo quando assumisse a prefeitura”. Dito e feito.  Dívidas de mais de 02 milhões de reais das administrações anteriores que vinham se arrastando na justiça transitou em julgado e não cabe mais protelação. Agora é só pagar, sob pena de bloqueio das contas municipais.

A principal delas diz respeito a uma demanda para pagamento de horas extras de determinados servidores públicos, cumpridas e não pagas ainda da gestão da ex-prefeita Célia Orione. Embora a justiça de primeiro grau, a mais de 10 anos atrás haver dado ganho de causa aos servidores, os ex-prefeitos Hélio Goulart e Gilmar Mocelin que administraram o munícipio nos últimos 12 anos optaram por recorrer da decisão e fazer esgotar todos os meios recursais para procrastinar o pagamento. Essa artimanha custou aos cofres do município hoje algo em torno de 02 MILHÕES DE REAIS.

O prefeito bolinha já está obrigado a pagar nesta primeira etapa algo em torno de 300 mil reais que, mediante acordo com o sindicato, já pagou os dois servidores de uma lista de 09. Pelo acordo, todo mês dois servidores que constam de uma lista judicial receberá integralmente o valor devido de horas extras corrigida com juros e correção monetária o que deveria haver recebido a 20 anos atrás.

No total são 147 servidores que acionaram a justiça cujo montante chega a aviltante quantia de 02 milhões de reais. Essa era a bomba de efeito retardado que a oposição tanto decantou quando perdeu a eleição. Para sanar essa dívida Bolinha determinou vários cortes no orçamento, pois segundo ele, decisão judicial se cumpre e não enrola.

Nos próximos meses, só em precatórios originados dessa dívida com servidores o prefeito Bolinha irá pagar algo em torno de R$700.000,00 (setecentos mil reais), montante que daria para pavimentar quase mil metros de ruas da cidade. Os ex-prefeitos, claros, nada respondem a justiça por causar este dano ao erário público.